. Calendário .






. Blogs outros .

Antipoético
Às vezes tudo...
Balde de gelo
Brenda Walsh
Canto de detalhes
Carbon Monoxide
Clarah Averbuck
Clarices
Cristiane Lisboa
Estradeira
Filosofia de Para-Choque
Garatuja
Kibe Loco
Namastê
Qual é a sua?
Pena & tinteiro
Playground
Redatoras de merda
Rita Apoena
Tudo palhaço
Um baiano em Sampa
Vodca barata





. Arquivos .




2 de novembro de 2012


"Não me atire no mar de solidão
Você tem a faca, o queijo e meu coração nas mãos
Não me retalhe em escândalos
Nem tão pouco cobre o perdão
Deixe que eu cure a ferida dessa louca paixão
Que acabou feito um sonho
Foi o meu inferno, foi o meu descanso
A mesma mão que acaricia, fere e sai furtiva
Faz do amor uma história triste
O bem que você me fez nunca foi real
Da semente mais rica, nasceram flores do mal

Não me esqueça por tão pouco
Nem diga adeus por engano
Mas é sempre assim
A mesma mão que acaricia, fere e sai furtiva
Faz do amor uma história triste
O bem que você me fez nunca foi real
Da semente mais rica, nasceram flores do mal"

posted by Genivalda Joga pedra na Geni!




Powered By Blogger TM

online