. Calendário .






. Blogs outros .

Antipoético
Às vezes tudo...
Balde de gelo
Brenda Walsh
Canto de detalhes
Carbon Monoxide
Clarah Averbuck
Clarices
Cristiane Lisboa
Estradeira
Filosofia de Para-Choque
Garatuja
Kibe Loco
Namastê
Qual é a sua?
Pena & tinteiro
Playground
Redatoras de merda
Rita Apoena
Tudo palhaço
Um baiano em Sampa
Vodca barata





. Arquivos .




12 de agosto de 2009


Na empolgação total de Misto Quente, corri na livraria e comprei esse.



São partes do diário de Bukowski.
Meu diário da 8ªsérie era mais interessante.

Acho que foi só um erro, né possivel!

Aí comprei esse



"Estou preocupado com minha novela. É sobre um detetive. Mas eu fico colocando-o em situações quase impossíveis e daí tenho que tirá-lo delas. Às vezes, penso numa solução quando estou no hipódromo. Sei que meu editor está curioso. Talvez ele ache que o texto não seja literário. Digo que qualquer coisa que faço é literária. Ele já deveria confiar em mim. Bem, se ele não quiser o texto, vou despejá-lo em outro lugar. Vai vender tão bem quanto qualquer coisa que escrevi, não porque é melhor, mas porque é tão bom quanto antes e meus leitores malucos estão prontos para ele".

O personagem é um detetive que precisa solucionar casos como "achar o pardal vermelho" (hein?), resolver um caso para a "Dona Morte" (hã?), se livrar de uma alienígena que persegue um cliente (hum?)...e etc.

Se tivessem dito que foi Woody Allen que escreveu, eu tinha acreditado fácil.

Decepção total. Espero que ninguém me mate.

posted by Genivalda Joga pedra na Geni!




Powered By Blogger TM

online