. Calendário .






. Blogs outros .

Antipoético
Às vezes tudo...
Balde de gelo
Brenda Walsh
Canto de detalhes
Carbon Monoxide
Clarah Averbuck
Clarices
Cristiane Lisboa
Estradeira
Filosofia de Para-Choque
Garatuja
Kibe Loco
Namastê
Qual é a sua?
Pena & tinteiro
Playground
Redatoras de merda
Rita Apoena
Tudo palhaço
Um baiano em Sampa
Vodca barata





. Arquivos .




8 de janeiro de 2008


DAQUI

" isquierdo.

entendo (não é nessariamente primeiro amor. primeiro amor se esquece sim. eu esqueci). eu lembro exatamente daquele que me fodeu a vida (não costumo usar esses termos, olha o que já me causaste!). todo homem tem a mulher que um dia lhe arrancou um pedaço e não devolveu até hoje (e não tem intenção de devolver, sinto dizer), e toda mulher tem também o seu homem arranca-pedaços. podemos disfarçar, e no mundo ninguém nem desconfia, mas o que pega no peito e na mente... sabemos bem (e é uma loucura não conseguir se livrar).

mas me conta, em-segredo-pode-ser, quer mesmo se livrar? quer mesmo esse pedaço que lhe foi arrancado de volta? eu não sei se quero, ou se prefiro ficar nessa angústia louca, na espera dessa pessoa voltar. porque como você disse, "Essas garotas não sabem de nada. Nunca souberam de porra nenhuma. Quem sabia era você. Sabia tanto que me deixou assim. Desarmado." o homem que ainda espero é o que sabia de tudo, me sabia mais que ninguém, e me desarmou. foda. (oops!) "

:X

posted by Genivalda Joga pedra na Geni!




Powered By Blogger TM

online