. Calendário .






. Blogs outros .

Antipoético
Às vezes tudo...
Balde de gelo
Brenda Walsh
Canto de detalhes
Carbon Monoxide
Clarah Averbuck
Clarices
Cristiane Lisboa
Estradeira
Filosofia de Para-Choque
Garatuja
Kibe Loco
Namastê
Qual é a sua?
Pena & tinteiro
Playground
Redatoras de merda
Rita Apoena
Tudo palhaço
Um baiano em Sampa
Vodca barata





. Arquivos .




20 de março de 2007


. as últimas .

A noite do sábado tinha sido ótima e meu sorriso ainda tava congelado na volta pra casa quando ligaram me falando que meu irmão sofreu um acidente.

Ora, coisa mais corriqueira é telefonema avisando que ele bateu no carro. Ele dirige como quem assiste tv e as batidas mais estúpidas já aconteceram com ele. Bateu de ré num muro, bateu no carro do amigo, bateu até embaixo de lombada eletrônica.

Fiquei calma na hora imaginando que fosse mais uma, já cansei até de me preocupar. Mas dessa vez ele não tava errado e também não foi nada estúpida. Não consigo dizer com certeza o que aconteceu, porque só lembro de ter largado o carro perto, ter passado por cima de cacos de vidro e ter entrado correndo na ambulância com ele.

A ficha só caiu quando voltei lá no local à tarde e vi a situação do carro. Confesso que a minha força foi embora pelo ralo e voltei pra casa meio anestesiada, aérea, agradecendo aos céus que tava tudo bem agora.

Não sei se sorte ou se Deus, mas ele só levou pontos na cabeça e teve uns cortes na perna. A tomografia não detectou nada na coluna Ainda tá no hospital por causa das dores no pescoço, que tá imobilizado, e aí ainda não pode fazer os outros exames. Mas amanhã já deve tá bem melhor. Update: o laudo da tomo saiu hoje (21/03) e detectou fratura em duas vértebras, vai usar colete por 2 a 4 meses, mas apesar do susto, ele sabe que dos males esse foi o menor.

O engraçado é sentir a energia boa das pessoas que ligam, visitam, mandam mensagens, recados. Nunca minha família tinha passado por isso e eu não sabia como é tão importante esses pequenos gestos de carinho. Mas é nessas horas que a gente sente como estamos unidos, juntos e como nos preocupamos com o outro. Também como podemos contar com nossos amigos, amigas e familiares...todos eles fizeram a gente sentir que estavam ali do lado a qualquer hora. E alguns ainda fizeram do hospital uma verdadeira festa.

Fica a lição. E a fé na vida.

posted by Genivalda Joga pedra na Geni!




Powered By Blogger TM

online