. Calendário .






. Blogs outros .

Antipoético
Às vezes tudo...
Balde de gelo
Brenda Walsh
Canto de detalhes
Carbon Monoxide
Clarah Averbuck
Clarices
Cristiane Lisboa
Estradeira
Filosofia de Para-Choque
Garatuja
Kibe Loco
Namastê
Qual é a sua?
Pena & tinteiro
Playground
Redatoras de merda
Rita Apoena
Tudo palhaço
Um baiano em Sampa
Vodca barata





. Arquivos .




1 de janeiro de 2007


Sei não...você gastar uma grana considerável, viajar por uma hora e meia pra passar a noite de reveillon bebendo uma tal de Eristoff que fode a alma de qualquer pessoa não é a melhor maneira de se começar o ano novo.

A tal da madame mulé disse que eu fecharia 2006 com chave de ouro, e vou dizer que essa chave tava era bem enferrujada. E falar em chave, a gente ainda foi arregar o banheiro e lugar para se arrumar numa casa em construção que tinha umas 200 pessoas desconhecidas, fazendo chapinhas nos cabelos e fila nos banheiros. E na volta, a notícia que ladrões entraram e levaram todo dinheiro da minha irmã, que só fazia repetir que já tava fudida mermo nessa vida.

Aí pegar o carro e voltar para Recife, driblando as amigas que achavam que eu tava bêbada (NÃO ESTAVA!) foi a melhor coisa que podia ser feito ali...Só em pensar no reveillon MERDA que tivemos, no nosso chuveiro quente, na nossa cama com colchão decente e no quarto vazio sem 200 pessoas pisando!! Meu pai levou um susto quando chegamos em casa, obviamente. Mas para sorte deles, minha mãe teve que passar o reveillon com a irmã doente porque a empregada deu o cano e desligou o celular.

Empregada que por sinal ia passar janeiro na praia com a gente, e agora já nem sei mais.

Acho que azul não foi uma boa escolha de roupa, né? Mas pior do que o rosa não pode ser, já que 2006 foi um ano de fudição geral em todas as áreas da vida. Tomara Deus que Iemanjá me aceite como filha adotiva.

posted by Genivalda Joga pedra na Geni!




Powered By Blogger TM

online