. Calendário .






. Blogs outros .

Antipoético
Às vezes tudo...
Balde de gelo
Brenda Walsh
Canto de detalhes
Carbon Monoxide
Clarah Averbuck
Clarices
Cristiane Lisboa
Estradeira
Filosofia de Para-Choque
Garatuja
Kibe Loco
Namastê
Qual é a sua?
Pena & tinteiro
Playground
Redatoras de merda
Rita Apoena
Tudo palhaço
Um baiano em Sampa
Vodca barata





. Arquivos .




16 de dezembro de 2006


Sexta-feira num Recife sem opção. A night foi no bar do pé da ponte, que durante o dia é borracharia e durante a noite vira um inferninho. Serve para os dias que você quer beber, ouvir música boa e ver gente. Sem precisar se arrumar pra isso.

É o bar do acaba namoro. Acabou o namoro? A melhor opção é correr pra lá. Aconteceu comigo já, e digo logo que foi nessa situação que a amiga-acompanhante-da-minha-dor-de-cotovelo (sem nomes aqui!) conheceu o que seria o futuro namorado dela.

Ontem estávamos numa situação um pouco invertida, mas a profecia não se realizou porque, tu sabe, a praga continua. Então a cena era essa...duas amigas fudidas da vida, bebendo e gargalhando no bar-borracharia, se divertindo às custas dos nossos passados de micos, de ex-ficantes-rolos-e-afins e de histórias hilárias. E vou dizer, cada coisa que a gente já se submeteu nessa vida que merecíamos, no mínimo, um futuro brilhante de possibilidades Bradpittianas.

Fora isso, levei uma queda na frente do bar, fui paquerada pelo barman que achava que eu tinha 18 anos e nós duas fizemos planos de alto nível para nosso futuro próximo nessa fase de girls just wanna have fun.

posted by Genivalda Joga pedra na Geni!




Powered By Blogger TM

online