. Calendário .






. Blogs outros .

Antipoético
Às vezes tudo...
Balde de gelo
Brenda Walsh
Canto de detalhes
Carbon Monoxide
Clarah Averbuck
Clarices
Cristiane Lisboa
Estradeira
Filosofia de Para-Choque
Garatuja
Kibe Loco
Namastê
Qual é a sua?
Pena & tinteiro
Playground
Redatoras de merda
Rita Apoena
Tudo palhaço
Um baiano em Sampa
Vodca barata





. Arquivos .




12 de setembro de 2006


5 minutos para atualizar.

Fiquei boa da gripe na marra. O feriado chegou e eu larguei a cama, os remédios e fui pra praia.

A viagem foi maravilhosa mesmo com todos os contratempos, como a chuva, o valor do ingresso da tão esperada festa, os pirralhas inconvenientes que mentem pros pais (bem feito, plantamos eles no chão durante umas 200 horas) e o pouco tempo para a vontade de ter um feriado que durasse 10 dias.

A galera era nova e todo mundo era gente boa, de bem com a vida.
A amiga presente era a das melhores.
(aquela que, por coincidência, ironia ou qualquer outra coisa inexplicável, é a que sempre tá presente nos grandes acontecimentos, viagens e maluquices da vida)

E (aqui uma piada/filosofia interna) todas as pessoas deveriam viver de excessos. Ou ao menos viver de uma maneira politicamente incorreta. Gostar de exageros. Gostar das coisas inaconselháveis.

Porque, voutedizer, profundidades à parte (mais piada/filosofia interna...alguém aqui me entende!), a vida pode ser muito fácil!

posted by Genivalda Joga pedra na Geni!




Powered By Blogger TM

online