. Calendário .






. Blogs outros .

Antipoético
Às vezes tudo...
Balde de gelo
Brenda Walsh
Canto de detalhes
Carbon Monoxide
Clarah Averbuck
Clarices
Cristiane Lisboa
Estradeira
Filosofia de Para-Choque
Garatuja
Kibe Loco
Namastê
Qual é a sua?
Pena & tinteiro
Playground
Redatoras de merda
Rita Apoena
Tudo palhaço
Um baiano em Sampa
Vodca barata





. Arquivos .




4 de junho de 2006


Muito boa essa...!

E por falar em Garagem, a última vez que fui lá foi na melhor fase da vida de um ano pra cá. Já tinha passado em dois bares com um amigo de farra e todos os lugares já estavam fechando, era uma quarta-feira, acho.

Encontramos nosso lugar ao sol lá no Garagem. Meu amigo ficou bebendo encostado no bar e eu saí andando para ver se encontrava pessoas conhecidas. Fora um ex-vizinho muito animado, não me recordo de ter achado ninguém.

Mas foi aí que vi um mendigo altamente embriagado dançando com um copo na mão. Plim, plim. Fui até ele, disse que ele era a cara de Jeremias (aquele bêbado do vídeo que sempre é preso) e que se ele aprendesse a musiquinha do vídeo e cantasse no telefone para um amigo meu que era fã, eu pagava uma cerveja pra ele.

O cara não conseguiu captar muito bem a minha idéia, mas eu ensinei a parte que eu sabia da música, ele repetiu com as frases fora de lugar e eu achei que o ensaio já tava bom. Liguei pra o meu amigo, que atendeu com voz de quem acabou de ser acordado, e disse que tinha uma surpresa pra ele. Coloquei o bêbado no telefone e o cara começou a cantar Selma do Côco.

-Nããããão. É aquela ooooutra música. Aqueeeela, lembra? A que a gente ensaiou!

Mas ele nem deu bola. Começou a contar pra o meu amigo que já tinha cantado Selma do Côco até em programa de tv. E claro que meu amigo devia estar super interessado em saber disso às 4 da madrugada. Mas eu gritava, fazia munganga, cantava a música no ouvido do bêbado e ele nem aí, só contando as aventuras televisivas dele.

Frustrada, puxei o telefone e terminei cantando eu mesma e disse que só liguei porque o clone de Jeremias estava na minha frente, mas tava tão bêbado que o repertório saiu errado. O menino com voz de poucos amigos do outro lado da linha agradeceu e disse que ia voltar a dormir...e eu desliguei e fui lá pagar a cerveja do cara.

Chego lá pra encontrar meu amigo carregando um mendigo bêbado, peço uma cerveja pra ele, ele senta com a gente, puxa papo com meu amigo e meu ex-vizinho que também já tinha se chegado, bebe a cerveja inteira e depois olha pra mim e diz:

- Ei moça, eu só não entendi uma coisa: Por que a senhora mandou eu cantar Selma do Côco no telefone?

FILHO DA PUTA!

posted by Genivalda Joga pedra na Geni!




Powered By Blogger TM

online