. Calendário .






. Blogs outros .

Antipoético
Às vezes tudo...
Balde de gelo
Brenda Walsh
Canto de detalhes
Carbon Monoxide
Clarah Averbuck
Clarices
Cristiane Lisboa
Estradeira
Filosofia de Para-Choque
Garatuja
Kibe Loco
Namastê
Qual é a sua?
Pena & tinteiro
Playground
Redatoras de merda
Rita Apoena
Tudo palhaço
Um baiano em Sampa
Vodca barata





. Arquivos .




27 de fevereiro de 2006


É tão pessoal e um presente tão meu que não tenho nem ao menos como colocar todas as palavras que gostaria. Mas relendo mil vezes essas palavras tão bem vindas, vi que merecia tê-las um pouco aqui também. Para que façam parte da minha vida, como um registro eterno.

"...esse tipo de coisa só acontece com quem questiona o mundo, com quem vive e não sobrevive, com quem ama e não atura, com quem pensa e não é manipulado. Esses, infelizmente, são os que sofrem, às vezes. Mas a diferença entre todos está justamente na força, na força de vontade pra mudar o que não tá bom...

...Estamos no tempo da indiferença, no tempo em que a banalidade veste a violência, o sexo, a religião, a política, as artes. Elementos fomentadores de grandes revoluções no passado, mas agora não passam de capricho nas mãos de uns poucos, ou idiotice nas mãos de muitos...

...Experimente não crescer algumas horas por dia. Jogue sobre seu sorriso um pouco de infância: doce de chocolate, bolas de gude, pandorga; retire de seu peito a responsabilidade e brinque de boneca, carrinho, casinha, pique-esconde. Primeiro te chamarão de irresponsável, depois de vadio, por fim de louco...

...ISSO PORQUE VOCÊ DETEVE-SE NA INFÂNCIA DURANTE TRÊS HORAS NUMA SEGUNDA-FEIRA...

...Outros delicados que sofrem muito são os observadores. Não podem ver dálias, lírios, pedras cobertas de musgo, insetos azuis, folhas secas ainda nas árvores, pássaros dormindo...malabaristas no sinal que param tudo que estão fazendo e olham, olham, até atrapalhar a pressa de alguém que normalmente os chama de inúteis. São empurrados e achincalhados, mas não desistem...

...Há ainda os delicados que fazem coisas estranhas: assoviam, jogam pedras nos rios, caminham de trás pra frente, plantam bananeiras, descascam a laranja sem romper a casca, riem felizes porque conseguiram se superar, choram porque alguém os mandou jogar no lixo e lavar as mãos pois não suportam o cheiro. Os delicados fazedores também visitam cemitérios na busca de epitáfios e anjos, escrevem declarações e fazem castelos de areia na praia. São muito hábeis com barquinhos de papel em dias de chuva...

Por fim, os delicados sentimentais. Tudo lhes ataca diretamente ao coração. Os sentimentos são poços em que estes delicados caem e ficam, ficam, pedem socorro vez em quando, bebem alguma esperança vinda do céu, e agüentam o quanto podem. No tempo dos olhares pétreos, ser um delicado sentimental é belamente triste.


Não que vc seja uma revolucionária dessas de crachá pendurado, mas quando penso em revolucionário, penso nessas pessoas que não fazem parte do zé povinho, da massa padronizada. Eu tb sinto que ás vezes me falta espaço nesse mundo...

Continue assim, sendo vc mesma, sendo autêntica, não se renda, não se venda, vc tá no caminho certo. Vc é linda, tem brilho no olhar e na alma. Vi isso desde o começo, não é uma pessoa comum, não veio ao mundo pra brincar. Mas também não leve muito a sério a vida, ganhamos ela de presente, não pagamos nada por ela, não seria justo da nossa parte cobrar muito, exigir demais dela.

Mas troco fácil qq Olinda, qq Recife Antigo por uma tarde contigo tomando sorvete, nem que seja no pote duralex dentro de casa assistindo dvd.

Encabeçamos a lista dos que querem viver, Tatá. E não simplesmente passar pela vida. De vez em qdo nos deparamos com alguns obstáculos, mas CHUTAMOS e seguimos em frente. Esse é mais um. A merda ou talvez nem seja tão merda assim é que aqueles, os que se deixam levar pela vida, são maioria, mas, pra eles, embora possa ser mais fácil viver, é tão sem graça a vida né? Sem aventuras... eu prefiro uma aventura, odeio o marasmo..."

Palavras que me deixaram muda. Alguns trechos ficaram guardados apenas na memória. Não caberiam aqui, se trata de carinho que não se mede. Como essa vida é engraçada, traz tanta gente incrível para perto da gente de uma forma tão inusitada...Tenho sorte de saber dar valor a isso, de nascer sabendo agradecer o que a vida me dá. Tenho sorte de ter amigas e amigos que também são assim. Que sabem se amar, que sabem dizer isso para o outro, que sabem ser presença constante. Tem dias como o de hoje que eu percebo a riqueza que tenho, que o meu ouro não tem valor!

Email enviado por uma amiga que, assim como eu, tem sede de vida. E que sabe valorizar cada segundo de alegria.

posted by Genivalda Joga pedra na Geni!




Powered By Blogger TM

online