. Calendário .






. Blogs outros .

Antipoético
Às vezes tudo...
Balde de gelo
Brenda Walsh
Canto de detalhes
Carbon Monoxide
Clarah Averbuck
Clarices
Cristiane Lisboa
Estradeira
Filosofia de Para-Choque
Garatuja
Kibe Loco
Namastê
Qual é a sua?
Pena & tinteiro
Playground
Redatoras de merda
Rita Apoena
Tudo palhaço
Um baiano em Sampa
Vodca barata





. Arquivos .




23 de fevereiro de 2006


Porque só tem doido...

Minha mãe ligou da rua dizendo que passaria aqui em casa para buscar meu pai e meu primo para irem à missa. Meia hora depois o interfone toca e eles descem. Continuo na santa paz de deus - conversando besteiras no msn - quando, exatamente um minuto depois deles saírem, escuto o barulho de uma batida de carro (muito forte) aqui na avenida.

"Fudeu, morreu gente" - Meu primeiro pensamento!
"Fudeu, isso foi meu pai saindo da rua e algum maluco veio da avenida e bateu!" - Meu segundo pensamento!

- "BATIDAAAAAAAAAAA NA RUAAAAAAA" - Meu primeiro grito!

Corri até a varanda e vi que ninguém aqui em casa havia se mexido (pois sim, a casa cai e todos continuam vendo tv!).

Muita gente correndo no meio da rua e lá longe o carro parado com o pisca-alerta ligado.

- "FUDEU, BATERAM EM PAINHOOOOOOOO!"

A essa altura, minha irmã e prima saem correndo, sem acreditar, e eu mostro a batida e o carro deles parado. Um cara sai do carro e eu grito "É NESTOOOR" (meu primo!). Minha irmã grita "OLHA MAINHA ALIIII!".

Não tendo dúvidas, pego o telefone e ligo para eles pra saber melhor o que aconteceu. Meu pai começa a me binar. Chama duas vezes e cai na caixa postal. De novo e de novo e de novo.
"Estão nervosos e não querem me atender" - Meu milésimo pensamento, porque nesse ponto até imaginando gente morta eu já tava!

Continuo tentando e ele desligando. Falo pra minha irmã:
- "Painho não atende, deve tá resolvendo as coisas com o cara que bateu. Ou eles não querem contar pra gente!"

A menina se desespera, chama o elevador, pega minha prima pelo braço e sai correndo pelo meio do mundo com a roupa desbotada e esgarçada que costuma usar para dormir. E eu fico olhando da varanda, tremendo, pensando para quem ligar para pedir ajuda. Também já tinha avisado aos contatos do msn que meu pai havia batido e eu tava muito nervosa.

Vejo minha irmã e minha prima correndo no meio da rua e sumindo por baixo das árvores que atrapalhavam a minha visão. Começo a chorar e tenho a idéia de ligar para meu irmão e mandar ele correr para casa. Vacilei um pouco ao imaginar ele bêbado em alguma festa. Foi o tempo de ver elas duas voltando, surgindo embaixo das árvores. Ligo para o celular delas, minha irmã atende:
- "Sua imbecilllllll. Anormallllll. Vá tomar no cuuuu. Sua rapariiiiga. Vá se fodeeeeer!"

Nããão. Não era meu pai. O carro igual ao dele era apenas de um passante que parou para ajudar. Os verdadeiros carros batidos eu não estava vendo por causa das árvores. O melhor foi minha prima contanto que elas chegaram correndo e afobadas, entraram no meio das pessoas nervosas e preocupadas, olharam os carros batidos e começaram a rir, aliviadas, e saíram de lá gargalhando. E minha irmã veio o caminho de volta, com a roupa de dormir, xingando até a minha quinta geração.

E quando meus pais chegaram, dizendo que não me atenderam simplesmente porque o telefone estava com defeito, ela desabafou:
"Olhe mainha, você trate de comprar lexotan para a casa inteira. Todo mundo está me deixando num estado de nervos enlouquecedor. A menina começou a gritar descabelada dizendo que vocês bateram no carro e me fez sair correndo pelo meio da rua com ESSA roupa, desesperada, porque tava vendo Nestor ali no meio. Depois que eu ficar histérica, vão dizer que EUUU estou maluca, que EUUUU sou a doida. E essa outra - aponta para minha prima - está rindo da minha cara ATÉ agora. A outra fica chorando com o telefone na mão. Eu não sei mais o que fazer, não sei. Só tem doido nessa casa!"

Mainha vira pra ela e:
"Mas quem foi mesmo que me viu ali no meio da batida????"

posted by Genivalda Joga pedra na Geni!




Powered By Blogger TM

online