. Calendário .






. Blogs outros .

Antipoético
Às vezes tudo...
Balde de gelo
Brenda Walsh
Canto de detalhes
Carbon Monoxide
Clarah Averbuck
Clarices
Cristiane Lisboa
Estradeira
Filosofia de Para-Choque
Garatuja
Kibe Loco
Namastê
Qual é a sua?
Pena & tinteiro
Playground
Redatoras de merda
Rita Apoena
Tudo palhaço
Um baiano em Sampa
Vodca barata





. Arquivos .




12 de outubro de 2005


Preciso demais contar da cachaça de ontem, com direito a terminar a night no Bar do Corno, tocando o sino e usando chapéu de chifres. Grito no meio da rua é de praxe. Roubo de duendes, de ursos, quedas alheias, apelídos queima filme total (um gordo escroto me chamando de Cofrinho pra quem quisesse ouvir!), amizade com os bêbados do bar (bêbados trashes, daqueles que mergulham uma cenoura na cerveja e comem como se fosse o café da manhã...cada um com seus cada um, né?!).

48 horas sem dormir e ainda gargalhando com algumas lembranças repentinas. E nem conto que Marisa colou o cotovelo dela no balcão do Downtown com um chiclete e passou o resto do tempo tentando arrancar os restos daquela gosma alheia. E depois ela mentiu o nome pra ir embora como pseudo-pagante.

Eu tava falando hoje pra alguém que também não tá lá essas coisas, por conseqüência da núvem negra que resolveu ESTACIONAR em cima da cabeça da gente: Eu agora só quero farra, amigos de mói e gente palhaça do meu lado. É a maneira que eu achei de fugir um pouco de tudo que ainda não tá legal.

Mas às vezes é TOMBOM!
:)

posted by Genivalda Joga pedra na Geni!




Powered By Blogger TM

online