. Calendário .






. Blogs outros .

Antipoético
Às vezes tudo...
Balde de gelo
Brenda Walsh
Canto de detalhes
Carbon Monoxide
Clarah Averbuck
Clarices
Cristiane Lisboa
Estradeira
Filosofia de Para-Choque
Garatuja
Kibe Loco
Namastê
Qual é a sua?
Pena & tinteiro
Playground
Redatoras de merda
Rita Apoena
Tudo palhaço
Um baiano em Sampa
Vodca barata





. Arquivos .




14 de julho de 2005


Diálogo ontem, eu e minha irmã.

- Ah, mas ele é tããão bonitinho!
- Ai, nem acho...e quando olho pra ele, sinto cheiro de cocô!
- HEINNN???
- É...é porque teve uma vez que ele apareceu lá em casa na hora do almoço e pediu pra usar o banheiro. Demorou mil anos e quando saiu, a casa tava fedendo a cocô. Aí quando olho pra ele, já associo àquele cheiro. Mauuu cheiro, né?!
- Hahaha...pare! Eu vou ensinar ele a usar um bom ar! Bichinho, pare!
- É, ensine. Tadinho. Mas posso fazer nada! É o cheiro que eu sinto, já grudou na imagem dele.
- Então eu já tenho uma cascata. Posso chamar ele: oi, que tal fazer um cocozinho na minha casa, hein?!
- Hahaha...anormal! E diz assim: a gente usa Glade depois...uma festa!

Era o sono afetando os neurônios!

posted by Genivalda Joga pedra na Geni!




Powered By Blogger TM

online