. Calendário .






. Blogs outros .

Antipoético
Às vezes tudo...
Balde de gelo
Brenda Walsh
Canto de detalhes
Carbon Monoxide
Clarah Averbuck
Clarices
Cristiane Lisboa
Estradeira
Filosofia de Para-Choque
Garatuja
Kibe Loco
Namastê
Qual é a sua?
Pena & tinteiro
Playground
Redatoras de merda
Rita Apoena
Tudo palhaço
Um baiano em Sampa
Vodca barata





. Arquivos .




14 de março de 2003


Telefone toca. Alguém que há tempos atrás eu fazia questão de falar, de tá perto, de sair, de ser amiga, de rir um bocado, enfim...alguém que fez parte da minha vida e eu achava que isso nunca iria mudar, e nem deveria. Mas ok...aí um dia as pessoas somem e raramente dão um ALO ou ligam pra saber se vai tudo bem, como o outro está.

O tempo passa e tudo aquilo que era perfeito vai perdendo a importância. Todos aqueles sentimentos adormecem e terminam sendo apagados. Então eu não me lembro mais das mesas de bar, dos fins de semanas, das piadas, das festinhas, dos cafés, dos cinemas e mais nada disso. Triste, mas a vida conseguiu fazer aquilo tudo se perder no tempo...

E o telefone pode tocar o quanto quiser, no máximo um "hoje não vai dar pra sair..." e poucas conversas. Porque tem coisas que a vida não trás de volta. Triste. Tão fácil se nada mudasse.

posted by Genivalda Joga pedra na Geni!




Powered By Blogger TM

online