. Calendário .






. Blogs outros .

Antipoético
Às vezes tudo...
Balde de gelo
Brenda Walsh
Canto de detalhes
Carbon Monoxide
Clarah Averbuck
Clarices
Cristiane Lisboa
Estradeira
Filosofia de Para-Choque
Garatuja
Kibe Loco
Namastê
Qual é a sua?
Pena & tinteiro
Playground
Redatoras de merda
Rita Apoena
Tudo palhaço
Um baiano em Sampa
Vodca barata





. Arquivos .




5 de março de 2003


Sabe quando dá uma vontade louca de recomeçar a vida? Pegar uma borracha, apagar quase tudo e, principalmente, muita gente que só te trouxe decepção? Que fez acreditar que tudo era verdadeiro e quando você foi lá ver o making off da coisa, sacou que só havia sujeira. Que nada é como te disseram. Que nada é como você imaginou.

Então você sai acumulando tudo isso por um bom tempo, de olhos fechados. Talvez por querer, talvez por ser cômodo ou talvez pra ver no que vai dar. Mas chega um dia que você acorda, à força! Aí vê aquela lama, tudo o que é falso vem à tona e começa a te incomodar. E você se olha no espelho e: Chega, não preciso disso e nem quero mais!

Então você lembra das pessoas verdadeiras que você guardou durante toda a caminhada. Aquelas que nunca te decepcionaram e que sempre foram teu porto seguro. Que ajudaram a formar tua personalidade, teu estilo, tua maneira de ser. E você descobre que o que é verdadeiro ficará guardado pra sempre.

E o que não é, a borracha vai levar.

posted by Genivalda Joga pedra na Geni!




Powered By Blogger TM

online