. Calendário .






. Blogs outros .

Antipoético
Às vezes tudo...
Balde de gelo
Brenda Walsh
Canto de detalhes
Carbon Monoxide
Clarah Averbuck
Clarices
Cristiane Lisboa
Estradeira
Filosofia de Para-Choque
Garatuja
Kibe Loco
Namastê
Qual é a sua?
Pena & tinteiro
Playground
Redatoras de merda
Rita Apoena
Tudo palhaço
Um baiano em Sampa
Vodca barata





. Arquivos .




11 de fevereiro de 2003


A vida sem freio me leva, me arrasta, me cega
No momento em que eu queria ver
No segundo que antecedo o beijo, a palavra que destrói o amor
Quando tudo ainda estava inteiro, no instante em que desmoronou
Palavras duras em voz de veludo
E tudo muda, adeus velho mundo
Há um segundo tudo estava em paz
Cuide bem do seu amor, seja quem for

E cada segundo, cada momento, cada instante
É quase eterno, passa devagar
Se seu mundo for um mundo inteiro, sua vida, seu amor, seu lar
Cuide tudo que for verdadeiro, deixe tudo que não for passar
Palavras duras em voz de veludo
E tudo muda, adeus velho mundo
Há um segundo tudo estava em paz
Cuide bem do seu amor, seja quem for
(Paralamas)

posted by Genivalda Joga pedra na Geni!




Powered By Blogger TM

online