. Calendário .






. Blogs outros .

Antipoético
Às vezes tudo...
Balde de gelo
Brenda Walsh
Canto de detalhes
Carbon Monoxide
Clarah Averbuck
Clarices
Cristiane Lisboa
Estradeira
Filosofia de Para-Choque
Garatuja
Kibe Loco
Namastê
Qual é a sua?
Pena & tinteiro
Playground
Redatoras de merda
Rita Apoena
Tudo palhaço
Um baiano em Sampa
Vodca barata





. Arquivos .




18 de fevereiro de 2003


Em pensar que já fui mafiosa de primeira qualidade. Acho que ando muito enferrujada, isso sim!
Eu fazia de tudo...descobria endereços, números de telefones, gravava conversas, tirava fotos, fazia altos relatórios, e já tinha até um crédito com a galera no colégio.

Uma vez uma menina me ligou, e ela nem era minha amiga. Pediu que eu descobrisse o telefone e endereço de um fulaninho que ela tava a fim, mas que só sabia o apelído e o lugar onde estudava. Fui na minha agendinha onde tinha números de gente que eu nem conhecia, de tudo o que é colégio...liga pra cá, liga pra lá, terminei descobrindo. Eu sempre descobria, era doença e o pior...me divertia pra caramba com essas merdas. Meus pais que não deviam gostar da conta de telefone no final do mês.

Isso foi na fase mais paranóica da minha vida, em pensar que hoje só me restou essa incompetência. Até trote pra quem tem bina eu passo. Desisto da minha vida de mafiosa. Acho que ficou tudo no meu passado negro!

posted by Genivalda Joga pedra na Geni!




Powered By Blogger TM

online