. Calendário .






. Blogs outros .

Antipoético
Às vezes tudo...
Balde de gelo
Brenda Walsh
Canto de detalhes
Carbon Monoxide
Clarah Averbuck
Clarices
Cristiane Lisboa
Estradeira
Filosofia de Para-Choque
Garatuja
Kibe Loco
Namastê
Qual é a sua?
Pena & tinteiro
Playground
Redatoras de merda
Rita Apoena
Tudo palhaço
Um baiano em Sampa
Vodca barata





. Arquivos .




8 de dezembro de 2002


Ontem terminamos indo pra uma festinha de Jornalismo que tava rolando lá perto do Arruda. Eu, Isa, Patrícia, Kati, Maurício e Gustavo. Encontramos Marcelo, que já estava lá, e Guilherme, que chegou depois.

Quem disse que a gente achava o lugar?
- Vai em frente, continua...deve ser por ali!
- Ai meu Deus, o que é aquilo?
- Socorro, um arrastão...tão jogando pedra. Volta, volta, volta!! Coooorre!

Maurício voltou de ré, enfiou o carro numa rua desconhecida e assim a gente saiu por aquelas bocadas todas.
- Olha quanta gente ali, deve ser lá!
- Aquilo é uma igreja, porra!

Liga pra Marcelo:
- Pô mermão, sei explicar direito esses negócios por aqui não!

Depois de muitas voltas e alguns anos, descobrimos o lugar. Massinha, por sinal. Aquele jeitinho brasileiro na hora de entrar sem o quilo de alimento, porque além do $ da entrada, ainda precisava de um kg de alimento, e a gente não tinha levado. Uma banda + DJs. Muita gente conhecida, amigos de infância e de longas datas.

Mas eu sabia que ia me arrepender de ter ido. Tudo o que eu precisava na noite de ontem, depois do dia que tive, era dormir. E terminei chegando em casa de manhã. De fato, dormir mesmo, só às 7:30!

Tô fodida hoje. Cansada demais. E cheia de coisa pra fazer.

posted by Genivalda Joga pedra na Geni!




Powered By Blogger TM

online